Liderança feminina nas Assembleias de Deus

  • Maria Helena Rodrigues Melfior Faculdade Refidim
  • Andréa Nogueira dos Santos Faculdade Refidim
Palavras-chave: Igreja, liderança feminina, pentecostalismo, relações de poder, patriarcalismo

Resumo

A liderança feminina nas igrejas ainda é um assunto pouco debatido e isso decorre, em parte, da herança cultural, pois no cristianismo, o destaque ministerial sempre foi dado aos homens e, em parte, pelo maior envolvimento da mulher nas tarefas domésticas. A mulher se dedicava à criação e educação dos filhos, pois até pouco tempo as famílias eram numerosas e os recursos financeiros, tanto para estudar e se aperfeiçoar quanto para a manutenção familiar, eram mais escassos. Com o passar do tempo, a mulher ganhou espaço na sociedade, inclusive no meio cristão, porém a atuação feminina em papéis de destaque não é algo recente. No
contexto bíblico há referências marcantes acerca da atuação das mulheres em papeis de liderança. Atualmente, a maioria das igrejas evangélicas reconhece a importância do ministério feminino em diversas áreas. Na história das Assembleias de Deus, Frida Vingren é um referencial, embora a história dela ainda seja pouco conhecida. Percebe-se, no entanto, que o ministério feminino ainda apresenta grandes desafios, mas passo a passo as mulheres vão aprendendo a encontrar o seu lugar e a exercer seu papel no contexto cristão. Por meio de pesquisa bibliográfica e documental este artigo se propõe a analisar as seguintes questões: o papel mulher no contexto bíblico; a importância da liderança feminina no meio evangélico e como essa liderança acontece hoje, especialmente na Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Joinville.

Publicado
2017-10-05
Seção
Artigos